terça-feira, 31 de julho de 2012

Tzatziki
Tzaziki é um molho que faz parte da gastronomia grega, o seu nome vem do turco Caçik
Ligeiro e refrescante, pode ser servido como entrada, com pão e umas deliciosas azeitonas ou também como acompanhamento de carne grelhadas.
Os ingredientes principais são iogurte (se for de ovelha ou cabra melhor) alho e pepino.
As inúmeras variações dependem da região ou país e do cozinheiro.


Tzatziki

Esta é a minha versão
Ingredientes :

1 pepino pequeno
125 - 150 g de iogurte
2 dentes de alho
1 cebolinha
Umas gotas de limão
Sal, pimenta preta

1.    Começar por descascar e ralar o pepino. Colocá-lo num passador de rede durante uns 10 a 20 minutos e ir pressionando com um garfo, para soltar a água em excesso.
2.    Numa tigela, juntar a cebola bem picadinha, o alho passado pelo esmagador, o iogurte e umas gotas de limão. Envolver bem. Juntar o pepino (deitar fora a água que soltou), temperar com sal e pimenta e misturar tudo muito bem.
3.    Deixar repousar no frigorífico 1 hora ou até à hora de servir.

Como já disse, existem inúmeras versões deste molho.
Muito apreciada cá em casa, não pode faltar nos dias de churrasco.
Deixam a tigela tão limpa que até brilha.
Tão fresquinho, leve e saboroso.

_____________________________________

Tzatziki
Tzaziki es una salsa de origen griega cuyo nombre viene del turco Caçik.
Ligera y refrescante, se suele comer como entrante con pan e unas deliciosas aceitunas, pero también como guarnición con carne a la barbacoa.
Los ingredientes principales son yogur (mejor aún si es de cabra u oveja) ajo y pepino.
Las inúmeras variaciones dependen de la región o del país y del cocinero.

Tzatziki
Esta es mi versión.

Ingredientes:
1 pepino pequeño
125 - 150 g de yogur
2 dientes de ajo
1 cebollita
Unas gotas de limón
Sal, pimienta negra

1.    Empezar por pelar y rallar el pepino. Colocarlo en un colador unos 10 a 20 minutos e ir presionando con un tenedor, para que suelte el agua en exceso.
2.    Poner en un cuenco, la cebolla bien picada, el ajo pasado por el exprimidor de ajos, el yogur e unas gotas de limón. Mezclar bien, juntar el pepino (tirar el agua que soltó), salpimentar y remover todo muy bien.
3.    Dejar reposar en la nevera min. 1 hora u hasta la hora de servir.

Como he dicho, existem muchas versiones de esta salsa.
Aqui en casa, no puede faltar Tzatziki cuando hay barbacoa. Dejan el cuenco tan limpio que ya brilla.
Muy refrescante, ligero y  sabroso.

_____________


Tzatziki

Tzaziki

Tzaziki, une sauce d’origine grecque dont le nom vient du  turc Caçik.
Légère et rafraîchissante à déguster en entrée avec du pain et des délicieuses olives, ou en accompagnement d’une viande grillée.
Les ingrédients principaux sont le yaourt (encore meilleur s’il est de chèvre ou brebis), ail et concombre.
Ces innombrables variations dépendent de la région, du pays et du cuisinier.
Ma version, la voici.

Ingrédients (pour un bol moyen):

1 petit concombre
125 - 150 g de yaourt
2 gousses d’ail
1 échalote
Quelques gouttes de citron
Sel, poivre noir

1.    Commencer par peler et râper le concombre. Le placer dans une passoire pendant 10 a 20 minutes et le presser avec une fourchette, pour en extraire l’eau en excès.
2.    Dans un bol, mélanger l’oignon haché menu, l’ail pressé, le yaourt et quelques gouttes de citron. Bien mélanger. Ajouter le concombre (jeter l’eau du concombre), saler, poivrer et mélanger.
3.    Laisser reposer au frigo 1 heure ou jusqu’au moment de servir.

Comme mentionné, Il existe d’innombrables versions de cette sauce, et voici la mienne.
Très appréciée à la maison, un ‘must’ lorsque nous faisons un barbecue.
Ils vident le bol.

Très frais, léger et savoureux.

sábado, 28 de julho de 2012

Kulfi de Mango

Kulfi de Mango en castellano…para Elisa

Ontem encontrei a Elisa no supermercado. Deu uma vista de olhos ao ‘Sabores às Cores’ e disse-me:
- Todas as receitas do blog estão em português, não percebo a receita do gelado de Manga e os tradutores da net não valem nada.
- Elisa, não te preocupes, vou traduzir imediatamente.

Esta conversa vai provávelmente dar um novo sentido a este blog.
Vou ter de traduzir algumas (se não todas) as receitas.
Como ainda não sei bem a melhor maneira de o fazer, começo com esta em espanhol.
_____________________________________

Hola Elisa,
Arriba cuento nuestro encuentro en el supermercado, cuándo me dices que no entiendes la receta del helado de mango. Para ti, con un saludo especial, el Kulfi de Mango en castellano.

Kulfi de Mango
Ingredientes:
750g de pulpa de mango bien maduro cortado en cubos (más o menos, como prefieras)
1 lata (370g) de leche condensada
375 ml de nata
3 a 4 semillas de cardamomo abiertas y chafadas en el mortero o 1/4 cuchara de té de cardamomo molido (o más)
Así es como lo hago:
Cuezo el mango unos 15 minutos, lo dejo enfriar y lo trituro. Luego lo mezclo con la leche condensada y el cardamomo.
Aparte, monto la nata hasta formar picos e incorporo a la crema de mango. Pongo en el congelador y lo voy sacando cada 1 a 2 horas, batiendo muy bien el helado para romper los cristales.
Cuando esté firme, te lo comes y me dices si te gusta.

Kulfi de Mango

terça-feira, 24 de julho de 2012

Tarte de Speculoos com Gelado de Baunilha...para o Moisés


O meu amigo Moisés adoOOora Speculoos,  adoOOra gelado e quer comer tudo com gelado.
No dia de anos dele,  veio jantar cá a casa, mas como foi tudo um pouco à última da hora, foi preciso improvisar.
Tarte de Speculoos
Tinha umas bolachas que sobraram do Crumble de Speculoos,  gelado no congelador... pois foi
uma Tarte de Speculoos com gelado de baunilha.

A receita original leva creme de chocolate, mas como já não tinha (foi o Moisés que comeu tudo), foi mesmo sem.
Aqui está a receita sem chocolate.

Ingredientes:
1 massa folhada
250g natas
3 ovos
100g de Speculoos
100g de açúcar

Aquecer o forno a 180ºC.
Forrar uma forma de tarte (25cm) com a massa folhada.
Triturar as bolachas.
Bater as natas com os ovos e o açúcar,
Juntar as bolachas ao creme de ovos e natas.
Verter sobre a massa folhada e levar ao forno cerca de 30 minutos.
Deixar arrefecer antes de desenformar.

Feliz Cumple Moisés, amigo del corazón!

Notas:
Encontrei esta receita num blog em francês. Tarte-speculoos-chocolat

O chocolate deve dar mais carácter a esta tarte de sabor suave e textura cremosa, mas o facto é que mesmo sem chocolate, deixou-se comer muito bem.
Seguem as etapas que faltam da receita com chocolate:
- Untar a base da massa folhada com 3 colheres de sopa creme de chocolate (Nutella);
- verter por cima o creme de natas, ovos e Speculoos;
- distribuir uma mão cheia de pepitas de chocolate por cima e levar ao forno.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Salada Murciana

Uma salada para um dia de verão.


 
Não sou apologista das comidas ‘em lata’, mas esta sabe mesmo bem.
Latas de atum, tomate pelado, azeitona e ovos nunca faltam nesta casa e
dá sempre jeito, quando chegam as  visitas  inesperadas e cheias de fome.

Ingredientes para 4 pessoas:

1 lata de tomate pelado
1 lata de atum em azeite
1 cebola média
1 a 2 ovos cozidos
Azeitona preta ou verde q.b.
Azeite q.b, pimenta

Numa travessa ou prato fundo ir misturando
O tomate partido,
com o atum desfeito,
a cebola bem picadinha,
as azeitonas (conforme o gosto)
o ovo descascado cortado em cubos
e pimenta.
Regar com um bom azeite e deixar tomar gosto no frigorífico.

Servir fresquinha com mais uns petiscos, pão, boa companhia...e se houver um bom vinho, ninguém dirá que não.

Mais fácil não há.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Kulfi de Manga...para os Anjos

Kulfi de Manga...para os Anjos

Este gelado (um dos meus preferidos) dedico à Isabel do blog ‘Cozinhar com os Anjos’, que é como a ‘madrinha’ deste blog.

Kulfi de Manga
Com esta, vou ter de contar uma história.
Tudo começou com um gelado.
Foi por mero acaso que encontrei o blog ‘Cozinhar com os Anjos’. À partida, foram as receitas de gelado que despertaram o meu interesse. Resolvi testar uma das receitas e ficou tão bom, que achei bem em agradecer à Isabel, dando-lhe uma das minhas receitas de gelado. Assim começou o nosso intercâmbio ...vai um gelado, um doce, umas migas, junto com uns pensamentos e citações, uns sorrisos e gargalhadas pelo meio...e assim nos fomos conhecendo.
Desde esse dia, vou aprendendo a conhecer e a apreciar a Isabel com alegria e carinho.

Em busca da receita indiana do Kulfi de Manga, inspirei-me na receita de um blog que infelizmente não voltei a localizar. Fiz algumas alterações e aquí fica a minha versão.

Kulfi de Manga

Ingredientes:
750g de polpa de manga bem madura cortada em cubos (mais ou menos, como preferir)
1 lata (370g) de leite condensado
375 ml de natas
3 a 4 sementes de cardamomo abertas e pisadas no almofariz ou 1/4 colher (chá) de cardamomo em pó (mais, se preferir)
Cozi a manga 15 minutos, deixei arrefecer, triturei e misturei com o leite condensado e o cardamomo.
À parte, bati as natas até formar picos e juntei-lhes o preparado de manga. Congelei e fui batendo cada 1 a 2 horas, até ficar firme.

Resultado: BRUTALISSIMO!

Os meus amigos indianos, quando souberam que faço este gelado, pediram-me para provar. Levei-lhes uma boa dose, pedindo-lhes que me dissessem se está perto do verdadeiro kulfi indiano, ou se é preciso melhorar. Responderam: ‘Não mudes nada, está como em casa.’

E se forem espreitar as receitas de gelados neste blog ‘Cozinhar com os Anjos’ (são só 105 gelados) , não hesitem em testá-las.
Só pode ficar Brutal!

Para ti Isabel, porque mereces.
“O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.” — Albert Einstein



Migas de feijão branco... dos Anjos
...e a razão deste blogue


 
Hoje trago uma receita que tirei do blog Cozinhar com os Anjos. Já fiz várias receitas deste blog e todas elas me saíram perfeitas. Esta é uma delas que passou a fazer parte do meu quotidiano. De vez em quando...apetece-me umas migas ‘dos Anjos’.

Aqui está uma das razões pelas quais decidi criar este blog. Para agradecer todos aqueles que partilham as suas boas ideias e experiências, não só culinárias mas também noutros campos.

Sem pretender ser uma grande cozinheira, gosto de variar as minhas refeições e descobrir sabores, cores, opiniões, mundos diferentes. Por isso vou de vez em quando pescar alguma ideia na blogosfera. Muitos amigos me pedem receitas ou que lhes prepare algum prato especial, pois aqui estão as minhas...porque
“Dar é uma forma inteligente de receber.” (H S. Benchimol)
Mas passemos à receita. Dou-vos uma copia da descrição da Isabel, pois não poderia fazer melhor, e à parte o feijão (costumo utilizar feijão congelado) faço tal e qual.

-uma lata pequena feijão branco cozido
-1 cebola grande
-4 dentes de alho
-1 dl de azeite
-50 ml de vinho branco
-2 colheres de sopa de vinagre
-1 colher de sopa de colorau
-mais ou menos 200 gr de pão saloio (demolhado em água quente)
-sal marinho e pimenta
Leva-se o azeite ao lume com a cebola e os dentes de alho picados. Deixa-se cozinhar sempre em lume brando quando a cebola começa a ficar translúcida, rega com o vinho branco misturado com o vinagre. Junta-se o feijão cozido, o colorau, sal, pimenta e o pão demolhado. Envolve-se muito bem e deixa-se ferver para harmonizar os sabores. Nunca deixar de mexer logo que se comece a desprender do fundo do tacho já está. É só servir...

Notas: A Isabel serve as migas com umas bifanas, que por sinal têm óptimo aspecto. Hoje contentei-me com umas courgettes grelhadas a acompanhar. Estas migas vão bem com tudo...e até com nada.

         Se quiserem mais boas ideias, Cozinhar com os Anjos têm uma série delas e não sei qual é melhor.

sábado, 7 de julho de 2012

Raia com molho de mostarda e
abóbora refogada com pimento verde

Depois de 4 dias de renovação na cozinha e farta de ver a casa com baldes de tinta, pincéis, escadotes, etc, finalmente, um almoço simples num dia de muito calor, uma cozinha nova e uma mesa partida (para me despedir da mesa, utilizei-a para tirar a fotografia).

Raia com molho de mostarda
Cozi uma posta de raia em água temperada com sal, escorri bem e desfiei-a.
À parte, preparei um molho com:
3 c. de sopa de azeite 
1 c. de sopa de vinagre de maçã
pimenta, sal
1 colher de chá de mostarda
orégãos
Misturei bem todos os ingredientes, envolvi a raia neste molho e deixei-a repousar alegremente no frigorífico.

Nota: esta receita é muito prática para aproveitar sobras de peixe

Abóbora refogada com pimentos verdes


Abóbora q.b.
1 pimentos verde,
1 cebola pequena
2 dentes de alho
Orégãos
Vinagre de maçã (ao gosto de cada um)
Sal, pimenta
Corta-se a abóbora descascada em quadrados pequenos e o pimento às tiras grossas.
Numa frigideira com um pouco de azeite, refogar a cebola às rodelas finas até começar a ficar translúcida. Juntar primeiro o pimento e refogar uns minutos, depois os quadrados de abóbora. Misturar bem e deixar cozer em lume brando uns 15 mintuos, mexendo de vez em quando.
Entretanto, esmagar num almofariz, o alho com os orégãos, o vinagre, sal e pimenta.
Quando a abóbora se começar a desfazer e o pimento estiver bem tenro, juntar o molho de orégãos e deixar cozer mais uns 5 minutos envolvendo muito bem...e quando se desprende todo o aroma destas cores e sabores, pode-se dizer: O almoço está pronto!
Bom proveito.

Notas:
Para preparar a abóbora, inspirei-me de uma receita, que segundo me contaram, se faz em Espanha (e que francamente nunca vi nem comi), mas com pimento vermelho seco. Eu gostei do contraste do verde do pimento com o laranja da abóbora.
Para acompanhar, comemos pão, mas acho que umas batatas cozidas também ficariam muito bem.
Estas são as cores do dia.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Crumble de Pêssego ‘Paraguaio’ e Speculoos

Crumble de Pêssego ‘Paraguaio’ e Speculoos   ...   e umas perguntas


Gosto muito de fazer sobremesas com fruta e hoje decidi fazer um Crumble com esta variedade de pêssego, cujo nome, em portugês, desconheço. Em Espanha chamam-se Paraguayos ou Chatos (não por serem chatos de aturar mas pela sua forma achatada). Trata-se de uma variedade de pêssego,  mas de forma mais achatada, com uma polpa mais amarela alaranjada e uma textura mais sumarenta. É muito cultivado em Espanha, sobretudo na região de Murcia.
Encontrei varias traduções:
Em inglês: Saturn Peach;
em italiano: pesche saturnine;
espanhol:  paraguayo ou chato;
e em português: não encontrei. Será qu alguém me sabe dizer?
Aqui estão os chatos:

As bolachas Speculoos, vêm da Bélgica e têm um sabor a carmelo e canela.  
Aqui estão elas:

São bolachas, carmelizadas com sabor a canela. Se alguém souber onde se podem comprar estas bolachas em Portugal, digam-me por favor.
Temos fruta, temos bolachas, já podemos fazer o nosso crumble.

Crumble de Pêssego ‘Paraguaio’, Speculoos e Philadelphia


Ingredientes para 2 pessoas:

65 gr de queijo creme Philadelphia
65 gr  de Speculoos triturados
4 pêssegos paraguaios
10 gr açucar moreno

E foi assim que fiz:
1. Num tachinho, cozi os pêssegos descascados e cortados aos bocados durante aproximadamente 15 minutos, até se desfazerem em compota. Juntei o açucar, um pouco de canela e envolvi.
2. Entretanto, triturei a bolacha e juntei o queijo, amassei rapidamente com a ponta dos  dedos até formar uma massa granulada. Coloquei esta massa no frigorífico e liguei o forno a 180ºC.
3. Deitei a compota de pêssego em duas forminhas e distribui a massa por cima. Introduzi--as no forno quente e durante os 30 minutos de espera, fui-me estender na cama de rede ao sol, para também 'assar' um pouco. Quando voltei, para ver o que se estava a passar no forno, vi que a fruta estava a caramelizar. É mesmo assim que eu gosto dele! Retirei do forno, deixei arrefecer um pouco e comi com gelado de baunilha.
Notas:
 - Esta receita foi tirada do web site da marca Philadelphia. É a versão que eu costumo fazer.
 - Pode-se fazer com outra fruta, conforme as cores das estações do ano.
 - Também se pode fazer com outro tipo de bolacha.

Fácil, rápido, e tão bom.
Desejo-vos um belo dia.